Sibelius 5 e o meu Allegro

05/05/2009

Hoje eu acordei as 06:41, com a cabeça doendo só de ficar encostada no travesseiro. Não, eu não fiquei tempo demais na cama. Foi a gripe mesmo. Tentei dormir, e quando acordei de novo era quase meio-dia. Como eu não ia mais na aula, resolvi dar uma olhada num programa que eu tinha instalado no computador esses dias: Sibelius 5.

O Sibelius é um programa dedicado a criação e edição de partituras, tudo muito profissional e bem feito. Além disso ele inclue uma ferramenta que achei incrível: ele toca as partituras que você faz. Muito bom. Aé, e também tem vários instrumentos, algo tipo 400 diferentes.

Sibelius 5

Então aproveitei e passei a tarde fazendo a partitura de uma música que eu tinha feito no violão no mês passado. Passei a música pro piano e vi que ela ficou muito mais difícil do que o esperado. Mas fazer o quê? Praticar pra um dia poder tocar minhas próprias composições haha.

A partitura:

Allegreto - não, não é um título. Allegreto é uma palavra para designar o andamento da música.

E para, não perder a “tradição” de ter sempre um vídeo, o que eu estava ouvindo agora:

Anúncios

O Nome das Músicas

20/04/2009

Toda vez que componho uma música, me deparo com o mesmo dilema: que nome dar a minha mais nova criação? Esse um assunto que possivelmente assombra muitos compositores (ou não), mas pessoalmente me atrapalha muito. Fico pensando nisso, tentando relacionar as idéias de nomes com a atmosfera que a música cria, mas ai aparecem vários empecilhos, como, por exemplo, em que língua será o nome? Inglês? Mas eu sou brasileiro! E dai?, você já viu música de piano com nome em português? Já! Foda-se. Nome meio da arte é tudo uma questão de como algo aparenta ser, e um nome pode ser importantíssimo. Deveria usar os nomes “formatados” de músicas eruditas? Ou seguir o exemplo de Chopin que não dava nome a nada? Talvez pedir umas sugestões a Claude Debussy quanto a isso…

De qualquer modo, abaixo está minha mais nova criação…sem nome. Espero que alguém aprecie.